Coimbra, o sexto palco da final da Taça

|

Taça de Portugal Placard

Na 80.ª edição da Taça de Portugal, o Estádio Cidade de Coimbra junta-se ao Estádio Nacional (67), Salésias (5), Antas (4), Lumiar (2) e Alvalade (1) como um dos palcos das finais.

SL Benfica e FC Porto jogarão a 1 de agosto, pelas 20h45, a final da 80.ª edição da Taça de Portugal no Estádio Cidade de Coimbra.

As águias tentarão conquistar a sua 27.ª Taça de Portugal na sua 37.ª final. Os dragões, com 30 finais disputadas, procurarão chegar às 17 conquistas.

Será a 10.ª vez que SL Benfica e FC Porto se encontram na final da Taça, a segunda sem ser no Estádio Nacional (em 1983 jogaram no Estádio das Antas). Nas nove finais, as águias somam oito triunfos contra apenas um dos dragões nas finais em que se defrontaram entre 1953 e 2004.

Estádio Cidade Coimbra será sexto palco da final em 80 edições
O Estádio Nacional voltará a não acolher a final, depois de se ter tornado a partir de 1946 o palco privilegiado do derradeiro encontro da competição.

Após as sete primeiras edições – disputadas nas Salésias (5) e no Lumiar (2), entre 1939 e 1945 -, o Jamor só não recebeu a final em cinco ocasiões.

Quatro finais tiveram como palco o Estádio das Antas – em 1961 o Leixões acedeu à possibilidade de jogar no terreno do outro finalista, o FC Porto, em vez de se deslocar para Lisboa ou Coimbra (as hipóteses em cima da mesa) , em 1976 e 1977, pois o Boavista tinha ganho nos anos anteriores e o Estádio da Bessa era considerado de dimensões reduzidas para acolher a final, e em 1983, pois a FPF ter entregou, no início da temporada, a organização da prova à AF Porto que escolheu o maior recinto portuense – e uma foi disputada no Estádio José Alvalade – em 1975, pois o Sporting tinha ganha a edição anterior).

O Estádio Nacional era considerado um símbolo do Estado Novo, e esse terá sido um dos motivos que levou as finais entre 1975 e 1977 não serem disputadas no Jamor.

Depois de 67 finais (37 de forma consecutiva), o Estádio Nacional volta a não acolher a Taça.

Recorde-se que, devido à pandemia da Covid-19, a final da prova rainha teve de ser adiada, depois de estar marcada para o Estádio Nacional no mês de maio.

Anterior

FPF suspende Supertaça em nome dos interesses do futebol português

Sugestões da EGEAC para o mês de julho

Seguinte

Deixe um comentário

%d bloggers like this: