Dez perguntas a Janice Silva jogadora em destaque na final da Taça da Liga de Futsal 2021

|

Destaque da final da primeira edição da Taça da Liga de Futsal feminino, em que a sua equipa, o Benfica, venceu por 4-2 a equipa de Nun’Álvares, Janice Silva, acedeu, com toda a sua simpatia e simplicidade, conceder uma pequena entrevista exclusiva, à FOCUSMSN. A jogadora de 23 anos, fala dos seus sonhos e objectivos na carreira desportiva.

FOCUSMSN: Como te surgiu o gosto pelo futebol e em particular o futsal?

Janice Silva: O gosto pelo futsal já vem desde pequenina, comecei a dar os meus primeiros passos numa escola da Amadora. Faltava uma pessoa para completar uma equipa e eu ofereci-me, foi o melhor que me aconteceu, gostei, e até hoje sou feliz a jogar futsal.

Cheguei a representar o Clube Atlético de São Brás onde só jogava com rapazes, era a única rapariga, não foi fácil a adaptação, fiz só uma época porque andava desmotivada, fiquei dois anos sem jogar, até que surgiu o projecto Fundação Benfica, “Para ti se não faltares”, com o objectivo de ajudar os alunos a conquistar os seus sonhos! E o sonho continua em mim até hoje.

F: Representas há muitos anos o Benfica, o que é para ti representar este grande clube?

JS: Representar o Benfica, é um orgulho imenso, ainda por cima é o clube do meu coração, o clube que me ajuda todos dias a crescer não só como atleta, mas também como pessoa, mas sem esquecer que é uma responsabilidade muito grande representá-lo, é um Clube que toda a gente conhece, um clube ambicioso, onde só se pensa em ganhar títulos.

F: O Benfica está prestes a celebrar o tetra campeonato nacional de futsal, não achas que actualmente o Benfica é extraordinariamente mais forte que todos os outros oponentes?

JS: Sim, estamos a uma vitória do título, trabalhamos imenso para que isto fosse possível, e merecemos. Temos equipas com qualidade no nosso campeonato, temos equipas a crescer e a reforçarem-se, o que cada vez mais nos dificulta as vitórias.

Agora, o Benfica tem uma estrutura muito forte, treinamos muito para que todo este sucesso aconteça, somos muito competitivas nos treinos, nenhuma de nós gosta de perder nem a brincar.  Daí também os resultados bastantes positivos.

F: O que achas que a FPF deveria fazer, a nível de apoios, incentivos, infraestruturas, etc. para que o campeonato se tornasse mais competitivo e equilibrado para tornar ainda mais interessante a liga feminina?

JS: A Federação tem vindo a melhorar o futsal feminino cada vez mais, este ano por exemplo, criou a Taça da Liga, o que é um passo importante para o desenvolvimento do futsal feminino. Tem feito o possível para ajudar, principalmente com algumas divulgações dos jogos, alguns passam por vezes em diferido na TV. Os clubes precisam de apoios, e se desse mais vezes na televisão teriam mais hipótese para ganhar patrocínios.

F: Estás bem lançada para seres a melhor marcadora do campeonato pela primeira vez, a acontecer será uma marca pessoal que ambicionavas e que irá enriquecer o teu palmarés?

JS: Confesso que é gratificante ter 39 golos em 21 jogos. É sempre um objetivo que tento alcançar, mas não fico propriamente focada nisso, penso sempre nos resultados colectivos, e quando os resultados colectivos são bons, os individuais serão mais fáceis.

Sou uma pessoa muito ambiciosa, que quer sempre melhorar, espero conseguir concretizar este objectivo porque é sempre um prémio a todo meu esforço, dedicação e empenho! 

Mas sem as minhas colegas todas e a equipa técnica nada disso seria possível, por isso OBRIGADA A TODOS ELES!

F: Já te passou pela cabeça um dia jogares no estrangeiro, em outras ligas?

JS: Acho que qualquer jogadora pensa sempre ser profissional e ir para o estrangeiro não será uma hipótese fora do baralho. Ainda sou jovem e, sim, tenho essa vontade de querer ter uma experiência fora de Portugal, mas tudo a seu tempo.

F: Já tens quase 50 internacionalizações pela selecção A, o que sentes quando representas a selecção nacional, é para ti um orgulho, é um objectivo cumprido?

JS: Quando sai a convocatória fico sempre feliz como se fosse a primeira vez. Representar o nosso país, é algo fantástico, estar entre as melhores é um prémio de todo o esforço, de todo o trabalho, é sempre um dos objetivos que tenho todos os anos, é um orgulho representar a nossa Selecção.

F: Na 1ª edição da Taça da Liga, disputada há umas semanas atrás em Sines, foste a jogadora em destaque na final, por aquilo que jogaste e pelos três golos que marcaste, decisivos para a vitória, de 4-2, sobre o Nun’Álvares. Vai ficar gravada na tua memória esta tua fantástica exibição?

JS: Claro que sim, sem qualquer dúvida, a primeira Taça da Liga, um jogo onde ganhamos e marquei 3 golos, não poderia pedir mais como é óbvio.

F: Qual o momento mais marcante, a nível desportivo, que melhores memórias te trazem, desta tua já longa carreira desportiva, apesar de seres ainda jovem?

JS: Já tenho vários momentos marcantes, mas um dos mais marcantes foi numa final da Taça de Portugal, onde estávamos a perder por 3-0, com a Novasemente, a 7 minutos e 58 segundos do fim, e conseguimos empatar o jogo. Depois no prolongamento saímos vencedoras da Taça. Consegui fazer 3 golos, foi um jogo fantástico de futsal feminino.

F: No dia da final disseste-me que querias chegar às melhores do mundo, explica lá que ambição é essa?

JS: Verdade, como já disse em cima sou uma miúda ambiciosa, sou uma atleta que nunca está satisfeita, continuo a trabalhar para que um dia consiga ser a melhor pivot do mundo. Irei treinar mais, irei lutar mais, irei dar sempre mais, para que um dia isso aconteça.

+4
Anterior

Gisela João lança hoje AuRora, o álbum de estreia como letrista, compositora e produtora

Favoritos apurados para a final da Liga MEO surf etapa da Ericeira

Seguinte