Os CLÃ lançam “Pensamentos Mágicos” em video

|

Seis meses depois da chegada de Véspera, os Clã lançam novo videoclipe. Pensamentos Mágicos, com letra de Carlos Tê e música de Hélder Gonçalves, é um convite à dança. Convite que Joana X, realizadora, aceitou e espelhou no vídeo que junta imagens de arquivo com imagens ao vivo da banda:

“Ao remoer no que poderia fazer, lembrei-me de como adoro videoclipes com pessoas a dançar e de como esta música puxava para a dança. Para mim, Pensamentos Mágicos é a música mais dançável do álbum Véspera dos Clã. Começa com aquela batida da bateria, seguida pelo sintetizador, que fazem logo o pé abanar em sincronia. A música vai crescendo e cada novo elemento musical vai fazendo mexer uma parte nova do corpo. (…) Essa ideia do corpo a soltar-se, a libertar-se aos poucos, acabava por se associar também à letra da música, de Carlos Tê, o que me agradou.

Comecei a pensar como iria arranjar imagens de pessoas a dançar, dado que a ideia era usar só imagens já filmadas. Nos concertos que filmámos, por causa da pandemia da covid-19, as pessoas estavam todas sentadas com máscara, por isso, não podia usar imagens do público. Que imagens já existentes poderíamos, então, usar, sem termos de estar presos à questão dos direitos de autor? Só mesmo coisas antigas. Não sei bem como, a minha cabeça foi imediatamente para a ideia das dançarinas burlescas. Fui logo aos arquivos Prelinger pesquisar por “burlesque dancers”. Comecei a ver os vídeos ouvindo a “Pensamentos Mágicos” de fundo e fiquei fascinada como as imagens encaixavam tantas vezes na música. Apesar destas mulheres serem dançarinas de strip-tease, o que procurava nestas imagens era menos o lado sensual dos corpos semi-nus e mais a alegria da dança – quando elas riem, fazem movimentos mais animados, mais loucos, mais soltos, como se estivessem em casa a dançar sozinhas – como eu fiz tantas vezes durante o confinamento (e acredito não ter sido a única!).“ Joana X

Enquanto não podemos voltar a dançar entre amigos e estranhos, para lá das nossas quatro paredes, continuemos a fazê-lo ao som dos Clã, nas nossas casas, se possível, até cair, ancorados às palavras de Carlos Tê:

A força em mim
Não conhece fronteiras
A ave em mim 
Sobrevoa barreiras
.

Anterior

Lefty lançam “SEDE” single de estreia da banda liderada por Ella Nor

Ciclo de fados prossegue com Sara Paixão no Casino Estoril

Seguinte

Deixe um comentário

%d bloggers like this: