Miramar edita o segundo disco de originais

|

Miramar, projeto da dupla Frankie Chavez e Peixe, apresenta o seu segundo disco de originais “Miramar II”, distribuído pela Universal Music Portugal, e que já se encontra disponível em loja e em todas as plataformas.

Miramar II parte da vontade deste duo de guitarristas (que se encontrou pela primeira vez no festival Guitarras ao Alto) continuar a fazer música em conjunto, da mesma forma natural e espontânea com que o fizeram no seu disco de estreia. Um novo capítulo de uma ainda breve história que se deseja longa.

O disco foi gravado no Miramar Sessions Studio, situado não por acaso, no local que deu nome ao projeto, a localidade costeira de Miramar, no concelho de V. N. de Gaia. As sessões de estúdio ocorreram no ano de 2020,  durante uma semana de Abril (ainda em período de confinamento) e outra no mês de Dezembro. As sessões foram registadas por João Bessa que em conjunto com Frankie Chavez Peixe, assina a produção do álbum.

Peixe sobre o processo musical dos Miramar refere que “as músicas e os arranjos vieram de lugar nenhum, sem mapa e sem origem palpável, brotam do interior dos nossos corpos musicais que se estimulam mutuamente e desencadeiam no outro a magia da criatividade, a fluidez inexplicável das coisas que contra as probabilidades se tornam simples. Difícil é, portanto, escolher títulos que encerram e aprisionam em conceitos deste mundo de ideias concretas, as ideias sonoras, universais, que não se deviam nunca sujeitar a essa concretização inuniversal.”  

“A música de Miramar, sendo experimental, requer ouvidos tipo búzio, afeitos a escutarem um mar de guitarras mais evocativo do que real. Ela é um laboratório de lugares, um tipo de viagem à volta de um quarto, e o seu desdobramento cénico uma virtude da sua tensão. Dir-se-ia ser este tipicamente um país pequeno para dois solistas, não fosse este um espaço de fuga de dois paisanos, duplicado por dois horizontes únicos de paisagem.” diz-nos Daniel Jonas, poeta e dramaturgo, sobre Miramar II.

Recolher” conta com a participação do pianista e compositor Mário Laginha.

Ironicamente, a pandemia acabou por facilitar este encontro, uma vez que na altura em que o single foi gravado as agendas dos músicos e do próprio estúdio, estavam bastante mais disponíveis do que aquilo que seria normal em tempos pré-pandémicos. Reunidas assim as condições para esta colaboração, o tema “Recolher” resultou de um curto mas intenso encontro, em que as guitarras dos Miramar se cruzaram com o piano de Mário Laginha de forma surpreendentemente fluída e orgânica.

“Quando estávamos a criar o arranjo para o tema ‘Recolher’ ocorreu-nos que a introdução de um piano poderia levar o tema para uma dimensão mais poética e profunda. Lembrámo-nos imediatamente de convidar o Mário Laginha e um par de dias depois ele respondeu positivamente ao nosso convite. Combinámos então gravar a sua parte nos estúdios CARA/OJM em Matosinhos, com o João Bessa que já nos tinha gravado anteriormente no seu estúdio em Miramar. O Mário fez alguns takes e curiosamente foi o primeiro que ficou na versão final do tema.” refere Frankie Chavez.

O vídeo que acompanha o lançamento de “Recolher“, realizado por Jorge Quintela, é composto por imagens captadas durante as sessões de estúdio em que o tema foi registado.

Anterior

The Gang Festival no Campo Pequeno

Mariana Dalot estreia-se com ‘No Final’

Seguinte